Daniel Godri Junior
Segunda à sexta 8h30 às 18h
41 3024-2445

Ele também consegue aproximar o público com histórias de tocar o coração o que faz com que suas palestras se tornem momentos inesquecíveis.

Você não precisa de dinheiro para abrir um negócio

Parece absurdo dizer que alguém não precisa de dinheiro para fazer dinheiro

Postado em 04/05/2017

Parece absurdo dizer que alguém não precisa de dinheiro para fazer dinheiro. O capital de giro é um recurso importantíssimo para quem deseja abrir seu próprio negócio. Muitas empresas, inclusive, vão à falência por falta de capital. Algumas sequer saem do papel por causa da ausência de recursos.

Mas vários empreendedores de renome começaram suas fortunas investindo pouco ou nada. Ter dinheiro não é garantia de que seu negócio dará certo. Muitos negócios dão errado mesmo com grandes investimentos.

Quando você não tem dinheiro e abre um negócio, precisa se dedicar e trabalhar para fazer dinheiro. Há um preço que, se não for pago, lhe trará grandes prejuízos. Já quando você tem dinheiro e abre um negócio por hobby, por distração ou para ter mais dinheiro, automaticamente suas preocupações com trabalho e até sua dedicação para com o negócio diminuem.

Inclusive, gestores e líderes de empresas grandes, já consolidadas e que geram grandes lucros acabam freando a criatividade e a ousadia por medo de gastarem dinheiro. Ou seja, às vezes ter dinheiro prejudica muito mais o negócio do que não ter.

Ideias inovadoras podem se transformar em grandes negócios mesmo sem um bom capital. Para fazer dinheiro você precisa, em primeiro lugar, de uma boa ideia. O Brasil está aprendendo a valorizar as inovações e hoje é possível empreender e ter seu próprio negócio sem gastar nada. Se você quer abrir algo e não tem dinheiro para investir, veja a seguir cinco dicas que vão te ajudar neste empreendedorismo:

1. Aproveite as oportunidades oferecidas pelo Governo

Se você tem uma boa ideia de negócio e um bom planejamento para colocá-la em prática, pode utilizar recursos estatais. O Governo Federal, por exemplo, tem programas de crédito para microempreendedores individuais ou pequenas empresas. Cada banco oferece linhas, prazos e condições próprias para o microcrédito, assim, é possível escolher o que mais se adapta ao bolso da pessoa física ou jurídica interessada no financiamento. É claro que você terá de pagar o dinheiro emprestado, mas os bancos possuem juros e taxas que não ficam tão pesadas a partir do momento em que o negócio começa a dar certo.

2. Procure investidores (ou faça eles te encontrarem)

O mundo dos negócios é feito de network. Um bom empreendedor não precisa saber de tudo, mas precisa conhecer pessoas que saibam. Um bom empreendedor não precisa ter dinheiro, mas conhecer pessoas que tenham.

Muitas empresas, instituições, organizações e até pessoas físicas buscam bons projetos para investimento. Uma forma de encontrar um investidor é utilizando crownfunding, em inglês “financiamento de massa”. Crownfunding é um financiamento social que no Brasil ainda é voltado a projetos culturais e esportivos, mas que nos EUA e na Europa já é utilizado para invenções científicas e novas empresas.

O site de crownfunding mais conhecido aqui é o Catarse. Nele você insere sua ideia e o valor que precisa. Esta quantia deve ser dividida em fatias cujo valor mínimo é R$10, para que cada apoiador escolha quanto quer investir.

Se em 60 dias você não conseguir o dinheiro necessário, o dinheiro já investido é devolvido pelo site aos apoiadores. Se conseguir, você recebe a quantia e repassa 7,5% do que ganhou ao site. Além disso, cada investidor deverá ser recompensado de acordo com o valor que investiu.

3. Invista em Home Office

Tenha em mente que nenhum negócio começa grande, a não ser que você compre uma grande companhia. Você pode começar um negócio trabalhando em casa ou pela internet. Por exemplo, se você quer abrir uma loja de roupas, pode começar vendendo-as em casa ou pela internet. Se você pretende criar franquias de escola de música, pode começar dando aulas particulares.

O Home Office não é um luxo, mas uma forma de trabalhar gastando pouco. Além de investir quase nada ou nada em estrutura, você economiza com alimentação, deslocamento e até com mão de obra. Por isso, utilize ao máximo os recursos que você já tem, como casa, carros, computadores e funcionários, se tiver.

4. Invista em negócios online

A internet também pode dar dinheiro, principalmente se seu negócio tem a ver com tecnologia, informação ou vendas. Os “brechós de luxo”, por exemplo, começaram como lojas online que vendiam produtos de marca, caros, que estavam em boas condições e as pessoas não queriam mais. Hoje existem centenas de lojas dessas pelo Brasil que foram criadas para dar mais comodidade ao cliente, no que diz respeito a provar a roupa ou o sapato, ver pessoalmente o produto antes de levá-lo para casa, etc.

Algumas empresas podem funcionar até melhor no mundo online, inclusive pelas redes sociais. Basta ter uma ideia inovadora e conhecimento para colocá-la em prática. Além disso, a internet pode te ajudar a eliminar concorrentes.5. Procure um sócioAgora, se você não encontrou um investidor e seu negócio não pode ser online, procure um sócio. O sócio pode ser alguém da família, um amigo, um conhecido e até mesmo alguém que já tenha empreendimentos no ramo que você deseja entrar.

Por exemplo, se você quer abrir um restaurante para vegetarianos, pode encontrar um sócio que já tenha negócios relacionados à vida saudável, como o dono de uma loja de suplementos, ou de uma academia ou um nutricionista.

Em algumas sociedades, um dos sócios investe o capital de giro e estrutura e outro entra com a mão de obra ou com a administração do negócio. Ou seja, nem todo sócio precisa ter dinheiro para começar uma sociedade.

Portanto, se você tem uma boa ideia, mas não tem dinheiro, não se preocupe. Busque alternativas para colocá-las em prática e acredite em você e no seu negócio. Além dessas dicas, também faça uma boa análise de concorrência para saber se o seu negócio vai mesmo funcionar.

Não tenha medo de adaptar sua ideia para tornar o negócio viável. É melhor que seu empreendimento comece simples, pequeno, porque se não der certo, o prejuízo também vai ser menor. E lembre-se de que não é você que deve dar dinheiro para seu negócio, mas seu negócio que deve dar dinheiro a você!

Receba
Novidades
Telefone: 41 3024-2445
© 2017 DANIEL GODRI . TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.